Qual é o seu modelo de pastoreio?

5 minutos | Postado 1 ano atrás

man-person-technology-music

 

Deus é nosso modelo de pastoreio. Desde o Éden o homem recebeu provisão, segurança e cuidado do Criador. No deserto, o pastor de Israel fez “cair pão do céu” e “tirou água da pedra”, expressões que usamos hoje para expressar grande dificuldade ou impossibilidade. Mas não se encontrará pastor como Jesus. Deu pão, peixe e água viva, guardou do mundo e do mal e cuidou; cuidou amorosamente como nenhum outro jamais fez ou fará.

Os pastores de hoje precisam aprender que pastorear não é apenas pregar, administrar, ensinar ou dirigir a liturgia. É possível fazer todas essas coisas sem realmente pastorear. Pastorear é acima de tudo cuidar.
Observe nas três versões mais populares o que Paulo disse aos anciãos (pastores) de Éfeso, conforme At 20.28:
-Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue. (RA)
-Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho que o Espírito Santo entregou aos seus cuidados, como pastores da Igreja de Deus, que ele comprou por meio do sangue do seu próprio Filho. (NTLH)
-Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para pastorearem a igreja de Deus , que ele comprou com o seu próprio sangue. (NVI)
A tarefa pastoral é um compromisso com a Trindade: A igreja é de Deus, comprada pelo sangue do Filho e a vocação é delegada pelo Espírito Santo. O envolvimento expresso da Trindade indica o valor que Deus dá ao seu povo, motivo pelo qual escolhe, capacita e ajuda os líderes que, a seu serviço, cuidam do rebanho que e exclusivamente Dele. Os pastores ou anciãos devem ter consciência que não morreram na cruz, logo não são donos de ninguém.
Cuidar de si mesmo é pré-requisito para quem pretende cuidar de outros. Hoje se fala em conservar saúde física e mental, família e finanças ordenadas, boa administração do tempo, vida devocional, disciplina de estudos. Porém, é pouco provável que Paulo estivesse pensando nisso quando recomendou “cuidado”. A preocupação do apóstolo visava perseverança na fé e no ensino, alertava sobre o perigo dos falsos mestres, da ganância e dos desvios de conduta. Os grandes males que têm destruído ministérios pastorais são: a imoralidade sexual, em todas suas manifestações; a arrogância e o orgulho, que trazem a reboque os desvios doutrinários e a tirania religiosa; a vaidade, a inveja e a cobiça, que levam alguns a tentar viver num padrão que não podem ou desejar coisas que não precisam.
Cuidar do rebanho de Deus é um privilégio. Moisés teve que aprender a cuidar dos rebanhos de seu sogro antes de liderar Israel; um rei foi escolhido por ter “coração de pastor”, capaz de por a vida em risco na luta contra um urso e um leão para defender uma única ovelha. Ora, se Davi era tão cuidadoso com o rebanho de Jessé, não seria também achado fiel no cuidado do rebanho de Yahweh? No dia a dia do ministério pastoral o grande desafio é não perder a ternura, o prazer de ter cheiro de ovelha, o gosto de conduzir, de guiar sem opressão, apenas sendo modelo, exemplo de fé, pureza e amor. É a tarefa mais excelente dentre as muitas oportunidades de servir no Reino de Deus, daí serem muitos os líderes, mestres, evangelistas, profetas, cantores e administradores que são chamados de pastores. Muitos têm o título, pois é cultural se dar maior valor as expressões como “pastor”, “reverendo”, “bispo” e hoje até “apóstolo”. Todavia, nem estes todos que usam o título têm coração de pastor.
Penso que quanto melhor os pastores cuidarem de si e do rebanho que lhes está confiado pelo Senhor, melhor eles serão cuidados ao longo da sua vida. O futuro pertence a Deus, mas a lei da semeadura se aplica a quase tudo na vida: se um pastor se devotar sinceramente por muito tempo a algumas pessoas, elas cuidarão dele com amor e gratidão; se um pastor passar a vida toda tendo relacionamentos rápidos e superficiais, ainda que com diversas pessoas, correrá o risco de sentir-se só no dia mau.
Amigo, cuide de sua igreja e ela cuidará de você. Ame devotadamente sua igreja, e ela o amará sinceramente. Dedique o seu melhor, e Deus te recompensará. Não se preocupe em como conseguir o muito; preocupe-se em ser fiel mesmo no pouco. Plante, regue e deixe por conta de Deus dar crescimento.
A IASD precisa de mais pastores: pastores de si mesmos; pastores de igrejas; pastores de pastores; pastores com coração de pastor.

Alex Palmeira

Salvo pela graça, servo de Jesus, em missão como embaixador do reino de Deus - atua como diretor do movimento PN5.
União Sul Brasileira da IASD