O que é ser discípulo de Jesus

5 minutos | Postado 2 anos atrás

f4d401417e030b04b2fcd5a2f9b459cd

 

Como podemos sair da condição de membros de igreja comuns e nos tornar discípulos e verdadeiros discipuladores?

Devemos entender que o processo da formação de um discípulo e de um discipulador é paulatino, não ocorre por decreto, tampouco por imposição de alguém. Também não nos tornamos discípulos e discipuladores porque fizemos um seminário ou lemos dois ou três livros sobre o assunto. Essa lentidão tem seu aspecto positivo: provê tempo para reflexão, permitindo ao cristão encarar as mudanças com maturidade, entendendo com propriedade os planos de Deus para sua vida.

O processo de discipulado não permite que o cristão se conforme em assumir apenas a postura de “membro batizado inativo”. É necessário crescimento, tornar-se um discipulador e fazer discípulos. Essa é a principal característica que diferencia um membro inativo comum de um verdadeiro membro discípulo. Para evidenciar ainda mais essa diferença, observe as afirmações abaixo:

  1. O membro inativo espera os pães e os peixes; o membro ativo (discípulo) é pescador.
  2. O membro inativo preocupa-se em crescer; o membro ativo (discípulo) quer multiplicar-se.
  3. O membro  inativo devolve dízimos e dá ofertas; o membro ativo (discípulo) entrega sua vida como um sacrifício vivo.
  4. O membro inativo precisa ser sempre estimulado e motivado; o membro ativo (discípulo) estimula e motiva os outros.
  5. O membro inativo espera receber ordens para fazer algo; o membro  ativo (discípulo) tem iniciativa e assume responsabilidades.
  6. O membro inativo é prisioneiro das circunstâncias; o membro ativo (discípulo) aproveita as circunstâncias para testemunhar.
  7. O membro inativo espera a visita do pastor; o membro ativo (discípulo) é um visitador.
  8. O membro inativo vai aos cultos para adorar; o membro ativo (discípulo) vive adorando.
  9. O membro inativo sonha com a igreja ideal; o membro ativo (discípulo) dá a vida pela igreja, por Cristo e pelo reino de Deus.
  10. O membro inativo quer ir para o Céu;  o membro ativo (discípulo) luta para levar pessoas para o Céu.
  11. O membro inativo espera um despertar religioso; o membro ativo (discípulo)  é parte desse despertar.
  12. O membro inativo considera-se uma espécie de sócio da igreja; o membro ativo (discípulo) assume o papel de servo de Cristo.
  13. O membro inativo  responde: “Deus, eu vou pensar”; o membro ativo (discípulo) reponde: “Deus, eis-me aqui”.
  14. O membro inativo espera que o pastor lhe interprete a Palavra de Deus; o membro ativo (discípulo) escuta com atenção o ensino e a pregação, mas, acima de tudo, busca o auxílio do Espírito Santo para compreender e aplicar as Escrituras à sua vida.

O problema do membro inativo não está naquilo que ele faz, mas naquilo que ele deixa de fazer. Observe que o membro envolvido (discípulo)  faz o que o membro inativo faz, mas vai além. Ou seja, não é uma questão de fazer ou isto ou aquilo,  e sim fazer isto e aquilo.

O discipulado e a missão da igreja

Para entender ainda mais o conceito de discipulado, é importante compreender o que NÃO É DISCIPULADO… Observe esta lista elaborada pelo pastor e educador Adolfo Suárez (2013, pp. 9-10):

O que não é discipulado 

  1. … NÃO É UM PROGRAMA DE IGREJA – Discipulado não é meramente um currículo que deve ser aprendido, nem um programa opcional e novo para a igreja. Na verdade, discipulado é fundamentalmente a escolha de seguir a Jesus e envolve uma maneira de viver por toda a vida.
  2. … NÃO É MERAMENTE CUMPRIR UMA LISTA DE REQUISITOS – Podemos aprender boas técnicas e habilidades, mas elas são ferramentas, e não o processo em si.
  3. … NÃO É UMA LINHA DE PRODUÇÃO – Não podemos pensar em produzir discípulos por atacado. Ao contrário, o discipulado é um processo lento, pois requer acompanhamento e envolve mudança gradual. No discipulado, uma pessoa discipula outra pessoa ou um grupo muito pequeno de pessoas; não dá para discipular muitos ao mesmo tempo.
  4. … NÃO É APENAS PARA RECÉM-CONVERTIDOS – O discipulado é para toda a vida, pois nunca podemos deixar de orar, estudar a Bíblia, memorizar as Escrituras, ter momentos devocionais, e outras coisas mais. O discipulado é para todo aquele que se entregou e se entrega a Jesus Cristo diariamente.
  5. … NÃO É APENAS PARA LÍDERES – Infelizmente, muitas vezes o treinamento espiritual é exclusividade de líderes espirituais: pastores, anciãos, sacerdotes e líderes em geral. Mas Cristo subverte essa ideia, Ele escolhe para discipular a escória da sociedade, pescadores, publicanos, homens simples e sem expressão na sociedade; não há restrições.

DISCIPULADO   +   DONS ESPIRITUAIS   +   CAPACITAÇÃO   =   MINISTÉRIO EFICAZ

Alex Palmeira

Salvo pela graça, servo de Jesus, em missão como embaixador do reino de Deus - atua como diretor do movimento PN5.
União Sul Brasileira da IASD