O ciclo do discipulado

6 minutos | Postado 1 ano atrás

1-2-2

PORQUE TER O CICLO NA IGREJA

1. Cumprir o imperativo bíblico

Na grande comissão dada por Cristo em Mateus 28:18-20, há quatro verbos: Ir, fazer [discípulos], batizar e ensinar. Desses, apenas um é imperativo ou de ordem: “Fazei discípulos”. Os outros três são verbos auxiliares ou particípios. Assim, podemos dizer que o produto final ou o alvo da grande comissão é fazer discípulos. Ir, ensinar e batizar são os meios estabelecidos por Cristo para alcançar o objetivo principal, que é fazer discípulos.

2. Combater a estagnação e a apostasia

Não basta batizar. A igreja necessita investir no processo de maturidade espiritual dos conversos e em seu envolvimento com a missão, de acordo com os dons espirituais. Como resultado, haverá uma multiplicação das forças para a pregação do evangelho e um decréscimo da apostasia.

3. Crescimento espiritual

“Como importante fator no crescimento espiri- tual dos novos conversos, os apóstolos tiveram o cuidado de cercálos com a salvaguarda da ordem evangélica. As igrejas eram devidamente organizadas em todos os lugares da Licaônia e da Pisídia onde houvesse crentes. Eram indicados oficiais para cada igreja, e ordem e sistema próprios eram estabelecidos para que se conduzissem todas as atividades pertinentes ao bem-estar espiritual dos crentes” (Atos dos Apóstolos, p.185).

OBJETIVOS

  1. Cumprir a ordem de Jesus;
  2. Facilitar o amadurecimento espiritual dos membros;
  3. Aumentar o número de missionários;
  4. Melhorar o preparo dos novos conversos;
  5. Diminuir a apostasia.

FUNCIONAMENTO

O ciclo do discipulado é uma estratégia estabelecida para que os novos conversos sejam desenvolvidos e amadurecidos em sua fé cristã. Cada novo membro deve ser acompanhado por um discipulador que transfere por exemplo e preceito seu conhecimento de Cristo. O seu funcionamento ocorre de maneira simples, recebendo o apoio prático de duas estruturas da Igreja:

Aspecto relacional

Cada novo discípulo deve se relacionar com outros, participando de uma unidade da Escola Sabatina para ser pastoreado e crescer na experiência cristã.

Aspecto cognitivo

A Escola Sabatina deve estabelecer uma classe especial para o desenvolvimento das fases 2 (confirmação) e 3 (capacitação), a fim de instruir os novos discípulos em seu crescimento e preparação para o serviço do Senhor. Normalmente (não é regra) depois que o novo membro passar pelas fases 2 e 3 do ciclo, estará habilitado a ser um membro regular de uma das classes da Escola Sabatina. “Se o povo não for ensinado a trabalhar, a dirigir reuniões, a fazer sua parte no trabalho missionário e a alcançar com êxito o povo, a obra será qual um fracasso. Na Escola Sabatina, há também muito a ser feito no sentido de levar o povo a compreender seu dever e a desempenhar sua parte” (Conselhos Sobre a Escola Sabatina, p. 184). O papel do professor do discipulado não é apenas passar a lição todos os sábados, é principalmente discipular os membros que estão sob sua liderança, através de visitas pessoais, preocupação pessoal por cada um dos alunos.

Dois objetivos

  1. Levar os alunos a obter o hábito de estudar a Bíblia e a Lição da Escola Sabatina (discipulado, fase 2) todos os dias.
  2. Participar de uma missão. “Por amor de Cristo, devem os professores e dirigentes da Escola Sabatina ser homens e mulheres que amem e temam a Deus; que compreendam a responsabilidade de sua posição, como os que velam pelas pessoas e precisam dar conta a Deus da influência que exercem sobre os que estão ao seu cuidado” (Ibid., p. 71)

FASES:

I. CONVERSÃO

Objetivo

Atrair o máximo de interessados e prepará-los bem para o batismo por meio de uma série completa de estudos bíblicos.

 Requisitos

  1.  Ter um discipulador.
  2. Completar um curso bíblico.
  3. Ser membro da Escola Sabatina.
  4. Ser batizado. 

II. CONFIRMAÇÃO

Objetivo

Consolidar a decisão dos recém-batizados.

 Requisitos

  1. Completar o guia de estudos avançados.
  2. Vivenciar a experiência de comunidade na classe da Escola Sabatina
  3. Ter e estudar a lição da Escola Sabatina.

III. CAPACITAÇÃO

Objetivo

Treinar e equipar o recém-batizado para envolvê-lo na missão.

 Requisitos

  1. Completar o módulo 1 da Escola Missionária.
  2. Realizar a dinâmica da Família Ampliada
  3. Estar envolvido na formação de um novo discípulo.
  4. Estar envolvido em algum ministério específico de acordo com seus dons espirituais. 

COMO IMPLEMENTAR O CICLO

Toda igreja deveria ter um processo claro de discipulado para os seus membros e interessados na fé. O que precisamos na prática?

Fase 1

Amigos estudando a Bíblia através do contato pessoal, Classe Bíblica, duplas missionárias, Classe Bíblica na Escola Sabatina da fase 1, Pequenos Grupos de estudo, etc

Fase 2 e 3

Novos na Fé, Professor, Um bom lugar, recomendado que seja mais uma unidade da Escola Sabatina

Fase 2 e 3

  1. Classe de Confirmação & Capacitação:
  2. Cria um ambiente familiar ao recém batizado
  3. Torna-o conhecido da igreja
  4. Fortalece na doutrina
  5. Amadurece na Comunhão, Relacionamento e Missão
  6. Incentiva o uso dos dons

O professor da Classe de Confirmação

  1. Bom de relacionamento
  2. Que gosta de promover a interação dos membros
  3. Que tenha boa didática no ensino
  4. Visitador

 

Check list do ciclo

  1. Quem será o professor?
  2. Aonde vamos alocar essa classe?
  3. Quem serão as pessoas que irão participar da Classe de Confirmação?

Alex Palmeira

Salvo pela graça, servo de Jesus, em missão como embaixador do reino de Deus - atua como diretor do movimento PN5.
União Sul Brasileira da IASD