A revitalização do compromisso missionário

3 minutos | Postado 2 anos atrás

 

trail-discipulo-igreja-local

 

Com o passar do tempo os membros de uma igreja local tendem a esquecer-se de seus compromissos missionários. Para evitar isso é preciso lembrá-los constantemente da razão da existência da igreja no mundo (uma agencia em missão). Neste caso específico, o livro Igreja local e missões, de Edison Queiroz, pode ser muito bem aproveitado.

 

1. Uma antiga boa prática

É importante separar um sábado por mês para falar de forma mais específica sobre a importância da igreja local como uma agencia em missão e sua relevância na comunidade. O Sábado Missionário, como era chamado, era dedicado à missão para a cidade. Prega-se sobre missões, a igreja ora por missões e contribui financeiramente com a obra missionária. Mas isso não acontece tão regularmente. É preciso um trabalho de base, de muita conscientização e investimento que vale a pena.
Entendemos que separar um sábado por mês para missões é o mínimo que podemos fazer. O ideal seria todos os sábados. Mesmo assim é gratificante.

2. Uma questão de obediência e prioridade

Evangelizar não é uma opção de vida de uma igreja local, mas a própria vida de uma igreja local. O que “mata” muito crente novo é a igreja não-funcional, que se limita a suas atividades internas, fechada em quatro paredes. A igreja local precisa resgatar sua visão missionária, excelência maior de seu chamado, como bem declarou o apóstolo Pedro: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (I Pe 2.9).

Vejamos alguns exemplos de como a igreja poderá revitalizar sua visão missionária.

 

3. Revitalizando a missão integral da igreja local

Como revitalizar uma igreja que começou com tanta empolgação para fazer missões e de repente esfriou?

  1. É preciso re-conscientizar a igreja de sua missão no mundo.
  2. É preciso conscientizá-la de que ela está no mundo para servir o mundo integralmente. Se a igreja chegou a se empolgar com missão algum dia, é sinal que ela tem potencial para fazer, com a graça de Deus, o que fez antes. Sermões e estudos bíblicos missionários, filmes específicos como por exemplo As Primícias, Etal e Atrás do Sol, além do auxílio de ministérios e agências missionárias, certamente produzirão novo alento.
  3. A igreja deve ser redirecionada. Geralmente a frieza por missões acontece por causa da rotina. Uma vez que o mal foi detectado é necessário que seja combatido com atividades variadas.
  4. É importante que a igreja saiba que sua missão no mundo é integral. Isto é, evangelizar não é simplesmente distribuir folhetos como alguns pensam, mas sim, atender o indivíduo na totalidade de suas necessidades. Por outro lado, a igreja nunca deve deixar se levar pela prática do paternalismo e assistencialismo paliativos, mas sempre partir para uma ação social transformadora, do indivíduo e da sociedade, para a honra e glória de Deus Pai. O ponto de partida será o parâmetro bíblico e o contexto da igreja local.
  5. A espiritualidade contagiante da igreja local com relacionamentos marcados pelo amor fraternal.

Alex Palmeira

Salvo pela graça, servo de Jesus, em missão como embaixador do reino de Deus - atua como diretor do movimento PN5.
União Sul Brasileira da IASD